segunda-feira, 25 de junho de 2018

Sentido.

peguei na net, n sei de onde

Quantas vezes eu irei digitar aqui que não está tudo bem? Quantas vezes NÃO vai estar tudo bem? Será essa outra certeza da vida, além da morte? Quantas perguntas, quantas interrogações, quantos questionamentos, que não me levam a lugar nenhum; Um rato de laboratório, dando voltas e voltas atrás da recompensa, e só o que temos é: outra porta.
E eu procurei ajuda dessa vez, ajuda profissional, porque cansei de gritar aos ventos, cansei de muitas coisas e agora, no meio da crise (de novo) me sinto na obrigação de colocar pra fora e deixar pra lá. Deixar pra lá isso de esconder e reprimir, porque fico meses sem escrever nada e essa é minha forma de dizer "ah, ta tudo bem se eu fingir que ta tudo bem", mas não está. O socorro veio, eu estou me tratando e a melhora vem, me acalma, me trás paz... sair do consultório é como me livrar de pesos que eu mesma coloco sobre mim. Ah! A guerra interna! Que deleite de agonia! Seria esse o começo do fim, de novo?

Enquanto digito eu me alivio e penso em como tudo pode ficar bem sim, eu consigo, é como uma tempestade, entende? Está sempre tudo preto, o tempo passa de forma diferente quando você está presa em si mesma, mas uma hora ou outra PASSA. O tempo passa, e eu falo com tranquilidade, nós vamos melhorar. A luta é real e diária e só eu posso me vencer. E vencer, nesse caso, não é o jogo, é necessário. Não entre em joguinhos emocionais, isso é importante de lembrar. ESCOLHA VOCÊ SEMPRE, DA MELHOR FORMA POSSÍVEL, PORQUE NAQUELA CRISE NO BANHO, QUANDO VOCÊ CHORA POR HORAS, SÓ QUEM TÁ ALI POR TI, É TU MESMO. 

Isso tudo está ficando repetitivo, sempre as mesmas palavras escritas de formas diferentes, e eu sempre tentando dizer a mesma coisa. Vocês entendem, certo? Como é estar tão confusa que nada do que tu digita/fala/canta/pinta/desenha faz sentido. VOCÊ NÃO FAZ SENTIDO. Não consigo mais digitar, eu já mudei o humor de novo e tudo voltou, e parece que é um buraco sem fim, que eu subo e desço, tropeço e caio, vou e... não volto.

Perdão por não conseguir mais me concentrar nisso aqui, no meu refúgio, no meu castelo onde eu sou a deusa, perdão por não conseguir, perdão por não... perdão...

Nenhum comentário:

Postar um comentário